MP determina que Cosanpa apresente relatório sobre abastecimento e a qualidade da água em Belém

A Cosanpa tem até o final da semana para apresentar ao Ministério Público uma séria de informações sobre o abastecimento e a qualidade da água da capital. O prazo foi determinado pela promotoria de justiça e de defesa do consumidor, que apura supostas irregularidades com relação ao serviço oferecido para a população. Esse prazo terminaria em junho, mas foi prorrogado a pedido da companhia.

A Justiça solicitou a Cosanpa uma série de relatórios, como por exemplo, um projeto de rede e distribuição de água na região metropolitana de Belém e também relatórios que possam mostrar informações com relação as reclamações sobre a qualidade da água. Caso essas informações não sejam repassadas a justiça, a Cosanpa pode ser penalizada com multa.

Em nota, a Cosanpa informou que todos os relatórios com essas informações solicitadas já foram entregues aos promotores no dia 5 de junho. Sobre a ação cautelar, a Cosanpa disse que ainda não foi notificada e que está a disposição para os esclarecimentos aos serviços oferecidos.

Reclamações dos usuários

De acordo com a Defensoria Pública do Estado do Pará aumentou em quase 130% o número de reclamações contra o serviço de abastecimento de água em Belém no início de 2019, em relação ao mesmo período do ano passado. O total de reclamações sobre problemas com o acesso à água já são 25% do total de queixas recebidas pelo órgão.

A Cosanpa informou que os problemas ocorridos recentemente são resultado do sucateamento da companhia que acumula um prejuízo de R$ 244 milhões e equipamentos quebrados. A Companhia afirma ainda que o Complexo Bolonha, responsável por 50% do abastecimento da Região Metropolitana de Belém está funcionando no limite de operação. E que os problemas serão resolvidos com obras de melhoria e ampliação no local, que seguem em ritmo acelerado.

Arquivo de Notícias
Aplicativos